O QUE É GESTÃO ESTRATÉGICA?

 

 Maria Helena de Matos L. Nunes

 

  • Gestão Estratégica significa a administração voltada para objetivos globais da organização situados a longo prazo. Representa a articulação do todo organizacional. A estratégia é o elemento unificador de todos os componentes da organização. A gestão estratégica se sustenta em cinco pilares básicos de toda a empresa: a cultura (crenças e valores) é o “porque”; a estrutura organizacional – é o “como”; os recursos são o “interior”; os mercados são o “exterior”, todos entrelaçados pela estratégia – é o “que”.

  • Gestão Estratégica é uma administração do futuro que, de forma estruturada, sistêmica e intuitiva, consolida um conjunto de princípios, normas e funções para alavancar, harmoniosamente, o processo de planejamento da situação futura desejada da empresa como um todo e seu posterior controle perante os fatores ambientais, bem como a organização e a direção dos recursos, de forma otimizada com a realidade ambiental, com a maximização das relações interpessoais.

 

  • Gestão Estratégica é um processo contínuo de determinação da missão e objetivos organizacional no contexto de seu ambiente externo (ameaças e oportunidades) e o ambiente interno (potencialidades e fragilidades); formulação das estratégias apropriadas, implementação dessas estratégias e execuções e controle para assegurar que as estratégias sejam sucedidas quanto ao alcance dos objetivos.

 

  1. Características da Gestão Estratégica (GE)

 A administração para que seja estratégica deve apresentar certas características: que seja evolutiva, moderna, sistêmica, interativa, que maximize resultados e que tenha lideranças efetivas e administração participativa.

  • Evolutiva – seus princípios estão em constante evolução quer seja de maneira global, quer seja quanto aos conceitos dos modelos de administração estratégica e de gestão organizacional.
  • Moderna – considera todos os atuais conceitos e princípios proporcionados pelas teorias das ciências tecnológicas e humanas.
  • Sistêmica – sua divisão é estruturada, suas partes são interagentes e seu todo tem função e objetivo, que evoluem ao longo do tempo.
  • Interagente – em permanente acompanhamento e fluxo ativo com os fatores ambientais, nos mais diversos níveis, tais como unidades organizacionais, equipes de trabalho e até cada colaborador da empresa.
  • Otimização dos resultados – promove um ajustamento interativo entre as mudanças nos fatores ambientais, procurando obter a satisfação e a fidelização crescente de seus clientes, à realização pessoal e profissional dos seus colaboradores e os melhores resultados financeiros para todos os stakeholderes (empresa, clientes, fornecedores, parceiros, etc.).
  • Competição – A Gestão Estratégica(GE) é mais bem exercida quando o nível de competitividade é elevado. A competição exige criatividade e inovação e ações efetivas da alta direção da organização.
  • Qualidade – A GE não ocorre sem um programa permanente e amplo de Qualidade e Produtividade nas organizações, que deve ser com a participação e contribuição de todos da empresa.
  • Liderança e Participação – Na GE é fundamental o papel do líder que promova, incentive e faça acontecer a administração participativa, respeitando as individualidades e promovendo os resultados dos trabalhos em equipe e compartilhados nos diversos planejamentos da organização.

 

  1. Benefícios da Gestão Estratégica

Uma administração estratégica adequadamente desenvolvida, implementada e operacionalizada pode proporcionar às empresas diversos benefícios. Os principais benefícios obtidos com as práticas de uma GE nas organizações são:

  • Modelos de gestão mais simples, flexíveis e sustentados – modelos de administração mais modernos assumem o lugar da administração burocratizada, amarrada e ultrapassada;

Na GE, a gestão se torna mais simples, pois interliga a maior parte das principais atividades administrativas da empresa focadas nos fatos, informações, decisões, ações, avaliações e retroalimentação que realmente tornam a empresa mais competitiva no mercado.

  • Identificação facilitada das capacitações e incapacitações dos profissionais da organização, bem como consolidação de novo perfil de dirigentes – na GE a gestão se torna mais transparente, eficiente, eficaz e efetiva, na medida em que os debates ficam mais interativos com as questões estratégicas, sendo, assim, mais fácil a identificação, na tarefa e em tempo real das competências individuais, técnicas, gerenciais, decisórias e operacionais;
  • Consolidação da postura de atuação empresarial direcionada para as necessidades e expectativas atuais e futuras do mercado – a GE busca consolidar planos estratégicos e pesquisas de mercado de forma adequada. As realidades externas e os correspondentes cenários são interativos com as realidades internas da organização;
  • Melhoria nos níveis de motivação, comprometimento, produtividade e qualidade. Na GE cada colaborador entende bem sua função e papel, gerenciando seu próprio processo com indicadores de resultados a serem atendidos pelos planos e objetivos da empresa;
  • Incremento na amplitude de atuação e nos resultados da empresa – A GE possibilita a empresa ser mais competitiva e assim conquistar maior participação no mercado e melhores resultados financeiros.
  1. Premissas e Atitudes da Gestão Estratégica

     Para que as organizações possam atingir a excelência nas práticas da Gestão Estratégica foram estabelecidas algumas premissas fundamentais:

  1. Ter competência estratégica – significa a capacidade de identificar todas as questões do cenário externo, do mercado, ou seja, as variáveis controláveis e não controláveis e interligar com as questões internas da organização (variáveis controláveis da empresa), utilizando as tecnologias de gestão proporcionados pela Gestão Estratégica;
  2. Ter abordagem administrativa ampla e integrada – a abordagem administrativa deve contemplar toda a organização dentro de sua realidade atual e futura, considerando os fatores internos e externos de forma compatíveis e interligados;
  3. Tratar a GE como um processo contínuo – as práticas da administração estratégica devem ser continua, evolutiva e acumulativa. As práticas da GE devem fazer parte da cultura da empresa, iniciando com as ações dos dirigentes e das lideranças;
  4. Promover o trabalho em equipe, principalmente multidisciplinares – importante premissa à Gestão Estratégica, e o seu objetivo é promover a sinergia de4 conhecimentos, o comprometimento das pessoas com o trabalho em equipe, com aperfeiçoamento contínuo. Uma boa liderança promove aos membros da equipe uma maior facilidade de aprendizagem organizacional;
  5. Ter autocrítica e saber aplicar o benchmarking – as pessoas da organização devem ter autocrítica para saber identificar e trabalhar com seus erros e acertos. Para isso é importante praticar o processo de benchmarking, tanto interno, quanto em relação ao seu concorrente. As empresas que buscam atingir os referenciais de benchmarking certamente apresentarão vantagem competitiva.

A maneira de encarar o futuro nas organizações assume formas diferentes em função das atitudes dos principais dirigentes. O grande desafio da atitude estratégica consiste em desenvolver a capacidade de olhar, criticamente, o presente a partir do futuro, e não o futuro com os olhos do presente.

  1. Mentalidade Estratégica

A mentalidade em relação ao futuro pode ser classificada em três níveis:                

  • Mentalidade imediatista – a maior parte dos executivos tem mentalidade imediatista. Eles conseguem visualizar somente o que vai acontecer, no máximo, daqui a um mês e apenas o que se passa dentro do setor da organização em que atuam. Essa atitude é chamada de miopia estratégica, pois a pessoa enxerga muito bem o perto e o curto prazo, mas não tem a menor ideia (nem está, de fato, interessado nisto) do que pode acontecer a médio e longo prazos;
  • Mentalidade Operacional – a mentalidade operacional é baseada nos fatos do cotidiano e nas demandas para que tudo ocorra normalmente. Alguns executivos são capazes de visualizar, com bom nível de detalhes, tudo o que vai acontecer em um espaço de tempo, digamos, de 12 meses, estendendo um pouco mais seu horizonte espacial;
  • Mentalidade Estratégica – baseia-se em projetar e construir a visão do futuro da organização, abstraindo-se mentalmente do presente momento, a fim de se colocar em uma posição adequada, transportando essa visão para cinco a dez anos à frente e posicionando-se de uma perspectiva global a partir do futuro desejado.

A mentalidade estratégica no que diz respeito ao planejamento futuro varia muito entre pessoas e organizações. Terão maior vantagem competitiva àquelas que exercerem as três mentalidades simultaneamente em seu corpo diretivo e funcional.

Agora que você já fez a leitura do texto, responda as seguintes questões:

  1. Qual a mentalidade da sua empresa?
  2. Como anda a gestão estratégica da sua empresa?
  3. Quais os benefícios que a implantação da gestão estratégica trará para o seu negócio?

 

Referência Bibliográfica:

CHIAVENATO, IDALBERTO. Administração dos Novos Tempos – 2ª Ed. R. J. 1999.

COSTA, Eliezer Arantes de. Gestão estratégica: da empresa que temos para a empresa que queremos.  2.ed. – São Paulo: Saraiva, 2007

MONTES, Sérgio – https://pt.slideshare.net/sergiolmontes/administrao-estratgica.

PEREIRA, Maurício Fernandes. Administração estratégica. UFSC; UAB, 2011.

author image

About inspira

You Might Also Like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *